eu, o monstro


Há dias nos quais entendo quem sou, e em outros descubro meu nome. Verdadeiramente sou um monstro.


Não é falta de amor próprio, aliás a única coisa que me salva do monstro que sou é Ele, o Amor. É real, dentro de mim há um monstro quase indomável que se rende ao amor. É isso! O Amor é o grande domador.

Ainda me surpreendo com as pessoas que me amam. Por quê me amam? Por acaso já pensou em morar comigo e ter a certeza de que não sou quem pensa?! Meus pais e irmã são guerreiros, campeões! Venceram a batalha de me ter por perto. (risos)

Há quem diga que sou "mulher de Deus"... óh Céus, se não fosse a Tua misericórdia e graça, heim Deus!? Coitadinhos desses que pensam que sou uma grande mulher (sabe de nada inocente).

O pecado nunca foi tão prazeroso pra mim, acho que nunca fiz tanta merda na vida como tenho feito ultimamente. Em contrapartida, eu nunca O senti tão verdadeiramente como sinto agora. Loucura ou não, é isso.

Ele tem sido surpreendente em dizer aos meus ouvidos de forma muito suave, 
"você não precisa disso".

Sim, de fato não preciso. Mas quem disse que paro de pecar?
O "engraçado", é que o pecado é conscientemente manipulado por mim, o que me torna um monstro ainda pior, não é mesmo?

Sabe aquilo que eu ouvia, "o pecado deve ser um acidente"? Acho que não funciona muito bem pra mim. Aliás, eu prefiro que nem sirva mesmo, que não funcione. Quero pecar conscientemente todas as vezes, porque só assim eu terei plena convicção de que pequei, e que preciso retomar, repensar, refazer e morrer. Pensa que tédio seria um, "ops, pequei!". Não serei hipócrita para dizer, "mas Deus, tudo que fiz foi em Seu nome", mas serei fraca e sensata ao ponto de dizer, "sim Deus, eu fiz tudo isso mesmo, essa merda toda, eu fiz". E que no final, com consciência resultará em um sincero, "ME PERDOA".

Para que me entenda melhor, não quero que o discurso do perdão seja automático em minha vida. Como na oração antes de dormir, "Deus me perdoa por todos os pecados de cometi no dia de hoje". Mas quero que em qualquer momento do dia eu me constranja por completo, chore, me sinta a pior pessoa do universo e diga, "perdão, Senhor". Entende a diferença?!

Então querido amigo, não coloque expectativas em mim, pois COM CERTEZA eu irei frustrar alguma (ou todas) delas.

Deve estar aí do outro lado (para quem me conhece pessoalmente) pensando, "nossa, mas essa moça que ora por um monte de gente, posta coisas bacanas (ou não) no Facebook, tem um Blog que fala de experiências com Deus e com essa carinha boa... nunca imaginei que ela seria assim". 

HAHAHA, prazer, eu - o monstro!

Tomando pra mim as palavras de um grande amigo e parafraseando-a, "fui inserida em um ambiente de amor, isso me transforma." É isso. O Evangelho de Cristo, brutalmente me encontra. Sem flores ou doçura. Ele não usa palavrinhas comigo, faz questão de ser Deus. Sem melindres, me cura. Aos poucos sou menos monstro que ontem. Porém, ainda um grande monstro. Perigoso, traiçoeiro e mau.

A cada dia faço menos questão de esconder quem sou, porque no final das contas não vale pra nada esconder quem sou. Uma vez que não serão meus amigos, pais ou pastores que me darão entrada no Céu, que me salvarão. Então, que vocês saibam tudo que Ele já sabe sobre mim.

Para que não entenda tudo o que disse de forma errada, acredito que esse versículo seja o que resume o entendimento de quem/como sou/estou:


"A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre."Salmos 73:26


Ah, sem esquecer de outro versículo, Romanos 7:13-25.

O entendimento, intimidade e compromisso com o Evangelho, com Sua Palavra, desprendem meus pés. De forma gradual e muito dolorida, hoje sou menos monstro que ontem, e se tudo der certo e eu continuar caminhando com Ele, amanhã serei menos monstro que hoje.

Então, amém.




Comentários

Postagens mais visitadas