Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

eu na vida

esse texto requer um pouco de sensibilidade, imaginação, humildade e ludicidade. se você não se sente alcançador desses fenômenos, não há problema. esse texto continua sendo para você. 

Photo by Jose Pablo Garcia on Unsplash

em dois mil e doze ganhei um livro. uma espécie de devocional - com uma diretriz para cada dia. quase um baralho de tarot, com respostas sensíveis e afiadas para quem abre e entende. no lugar de cartas, páginas. antes dessas páginas, um prefácio com muito sentimento. mostrando como a autora conseguiu alcançar palavras para cada dia do ano. 
lembro o quanto me tocou observar a forma como a autora percebia o mundo ao seu redor. me trazendo a proposta de sentir o calor do sol, sem pensar no sol em si. mas no encontro de seus raios com a minha pele - em seguida, ouvir os pássaros sem pensar nos pássaros - mas em como cada canto alcançava meus ouvidos. 
nessa mesma época, senti que havia mais pessoas contemplando o mundo com sensibilidade. coisa que por muito tempo tive ve…

Últimas postagens

toda vez é algo novo

obrigada, mãe

a vida é um enorme clichê, eu acho

Série: Sem Deprê, com Amor - Texto 05: curadores feridos

Série: Sem Deprê, com Amor - Texto 04: o mergulho

Série: Sem Deprê, com Amor - Texto 03: seja gentil

Série: Sem Deprê, com Amor - Texto 02: não se cale

Séria sem Deprê, com Amor - Texto 01: emergir

Vem, outra vez.

resiliência, o nome.